top of page

DNIT detalha o plano de melhorias para a BR-116, entre Porto Alegre e Novo Hamburgo


Imagem: reprodução

O investimento de praticamente R$ 900 milhões em obras de duplicação e construção de viadutos no trecho da BR-116 entre Porto Alegre e Novo Hamburgo foi um dos assuntos do Seminário de Mobilidade da Região Metropolitana do Rio Grande do Sul, realizado nesta sexta-feira.


O chefe da unidade São Leopoldo do DNIT no Rio Grande do Sul, Carlos Alberto Garcia Vieira, ressaltou que quando a BR-448 foi inaugurada, em 2013, a BR-116 tinha tráfego de 140 mil veículos por dia. O movimento foi diluído entre as duas rodovias e, hoje, a 116 já atingiu novamente essa marca, mesmo com a existência da 448. Segundo DNIT, a expectativa é que, em cinco anos, esse volume de tráfego chegue a 160 mil. Para evitar congestionamentos ainda maiores, foi desenvolvido esse plano de melhorias, que tem parte das obras já executadas ou em execução.


Novas pontes, alargamento de existentes, trechos com quatro e com cinco pistas em cada sentido, passarelas para pedestres e passagens por baixo da estrada para ligar bairros estão entre as obras citadas. Segundo Vieira, São Leopoldo e Esteio são os dois principais gargalos da 116 atualmente. Na Sharlau, serão feitos viadutos que possibilitarão a retirada das sinaleiras.

As melhorias estão divididas em três lotes, cada um com o seu contrato. Confira os números:


Lote 1

Obras

Valor do contrato atualizado - R$ 730 milhões

Total já empenhado - R$ 60 milhões (R$ 13 milhões em 2020, R$ 29 milhões em 2021 e R$ 18 milhões em 2022)

Valor da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2023 - R$ 174 milhões


Lote 2

Passarelas

Valor do contrato atualizado - R$ 107 milhões

Valores disponibilizados (8 anos) - R$ 73 milhões

Valor da LOA 2023 - R$ 30 milhões


Lote 3


Supervisão

Valor do contrato atualizado - R$ 25 milhões

Valores disponibilizados (6 anos) - R$ 17 milhões


Desapropriações

Valor aproximado - R$ 37 milhões

Valores disponibilizados (6 anos) - R$ 12 milhões


Do total de R$ 874 milhões, R$ 160 milhões já foram investidos. O restante deve ser dividido em três anos, prazo final para que todo o plano esteja executado.

Fora do plano, há um estudo de viabilidade para a duplicação dos 14 quilômetros que ligam Estância Velha e Dois Irmãos. Essa obra, porém, ainda não está confirmada.

O investimento em mobilidade é fundamental para o desenvolvimento do turismo e essas obras impactam diretamente no fluxo da Serra Gaúcha, pois tanto moradores da Capital e da Região Metropolitana, que viajam para a Serra com frequência, quanto turistas que outros Estados que chegam via Aeroporto Internacional Salgado Filho dependem da BR-116 para fazer a viagem.

Para conferir cada uma das obras em mapas, acesse o vídeo do seminário. A apresentação da BR-116 começa aos 15 minutos.


412 visualizações0 comentário

Comments


Patrocínio:
Banrisul Vertical_colorazul.png
selo-120-anos-sicredi-pioneira-2022-01.png
logo-Sicredi-Serrana-2.png
bottom of page